SECRETARIA DE ESTADO DA SAÚDE

Governo do Estado de Alagoas

Vigilância em saúde

Vigilância em Saúde


Articular as diretorias sob sua responsabilidade com o objetivo de propor, monitorar, avaliar, divulgar as ações de saúde inerente a Vigilância em Saúde.

 

Vigilância Epidemiológica

 

Possibilitar o conhecimento e a análise do processo saúde-doença nas populações, de modo a contribuir para o planejamento, o desencadeamento e a avaliação do impacto de medidas destinadas a interromper a ocorrência de doenças e agravos.

Atribuições:

Coordenação em âmbito estadual as atividades relativas à prevenção e controle de doenças, fatores de risco e agravos à saúde;

Promoção e disseminação do uso da metodologia epidemiológica no âmbito do Estado em articulação com os municípios para subsidiar a formulação, implementação e avaliação das ações de prevenção e controle de doenças, fatores de risco e agravos à saúde;

Coordenação do processo de acompanhamento e avaliação da programação das ações prioritárias de vigilância à saúde (PAP-VS);

Coordenação da gestão dos sistemas de informa

Vigilância em Saúde Ambiental

 

Promover o diagnóstico dos problemas ambientais que interferem na saúde humana, identificando áreas de risco e populações expostas,com a finalidade de promover e executar ações voltadas à redução dos fatores de riscos e à prevenção de agravos à saúde, contribuindo de forma importante para a melhoria da qualidade de vida da população.

Laboratório Central de Alagoas – LACEN

Responsável pela realização de exames laboratoriais de Média e Alta Complexidade com qualidade, agilidade e confiabilidade, o Laboratório Central de Alagoas (Lacen/AL) tem como missão a promoção da saúde para os usuários do Sistema Único de Saúde (SUS) de Alagoas. A unidade tem como missão coordenar a Rede Estadual de Laboratórios, produzindo informações que orientem de forma eficaz as ações para a promoção da saúde pública nas áreas da vigilância epidemiológica e atenção à saúde.

Vigilância em saúde do trabalhador

A Vigilância em Saúde do Trabalhador compreende uma atuação continua e sistemática, ao longo do tempo, no sentido de detectar, conhecer, pesquisar e analisar os fatores determinantes e condicionantes dos agravos à saúde relacio­nados aos processos e ambientes de trabalho, em seus aspec­tos tecnológico, social, organizacional e epidemiológico, com a finalidade de planejar, executar e avaliar intervenções sobre esses aspectos, de forma a eliminá-los ou controlá-los.

           Ou seja, é a vigilância da produção do trabalho.

           

Objetivos:

  1. identificação das atividades produtivas da po­pulação trabalhadora e das situações de risco ã saúde dos trabalhadores no território;
  2. identificação das necessidades, demandas e pro­blemas de saúde dos trabalhadores no território;
  3. realização da análise da situação de saúde dos trabalhadores;
  4. intervenção nos processos e ambientes de traba­lho;
  5. produção de tecnologias de intervenção, de ava­liação e de monitoramento das ações de VISAT;
  6. controle e avaliação da qualidade dos serviços e programas de saúde do trabalhador, nas institui­ções e empresas públicas e privadas;
  7. produção de protocolos, de normas técnicas e re­gulamentares; e
  8. participação dos trabalhadores e suas organiza­ções;

II – Promover a saúde e ambientes e processos de traba­lhos saudáveis, o que pressupõe:

  1. estabelecimento e adoção de parâmetros proteto­res da saúde dos trabalhadores nos ambientes e processos de trabalho;
  2. fortalecimento e articulação das ações de vigi­lância em saúde, identificando os fatores de risco ambiental, com intervenções tanto nos ambien­tes e processos de trabalho, como no entorno, tendo em vista a qualidade de vida dos trabalha­dores e da população circunvizinha;
  3. representação do setor saúde/saúde do trabalha­dor nos fóruns e instâncias de formulação de po­líticas setoriais e intersetoriais e às relativas ao desenvolvimento econômico e social;
  4. inserção, acompanhamento e avaliação de indi­cadores de saúde dos trabalhadores e das popu­lações circunvizinhas nos processos de licencia­mento e nos estudos de impacto ambiental;
  5. inclusão de parâmetros de proteção à saúde dos trabalhadores e de manutenção de ambientes de trabalho saudáveis nos processos de concessão de incentivos ao desenvolvimento, nos mecanis­mos de fomento e outros incentivos específicos;
  6. contribuição na identificação e erradicação de si­

tuações análogas ao trabalho escravo;

  1. contribuição na identificação e erradicação de trabalho infantil e na proteção do trabalho do adolescente; e
  2. desenvolvimento de estratégias e ações de comu­

nicação de risco e de educação ambiental e em saúde do trabalhador;

Vigilância Sanitária

O que é

A Diretoria Estadual de Vigilância Sanitária – Divisa, em sua atuação, ela fiscaliza medicamentos, alimentos, hemoterápicos, sangue e derivados, cosméticos, saneantes, agrotóxicos e produtos utilizados como instrumentos de diagnósticos de laboratório, equipamentos e material médico-hospitalar e odontológico. Atua também em saneamento básico, nos agravos a saúde do trabalhador, no Controle das Informações Toxicológicas e Controle de Infecções Hospitalares (CIH).

Objetivo

Promover a proteção da saúde da população pelo controle sanitário da produção e da comercialização de produtos e serviços de todo o Estado.

Missão e Visão

Missão:

Proteger e promover a saúde da população garantindo a segurança sanitária de produtos e serviços participando da construção de seu acesso. E garantir a participação de todos e estimular o fortalecimento da educação sanitária para que o cidadão possa acompanhar a atuação da Vigilância Sanitária Estadual através de suas sugestões, críticas e elogios.

Visão:

Fortalecer a cidadania, promover a justiça e realizar a equidade.

Saiba mais sobre a vigilância sanitária

Visite também a pagina do Ministerio da Saúde neste link:http://portalms.saude.gov.br/vigilancia-em-saude